África Parceira do Brasil Atlântico: Relações Internacionais do Brasil e da África no Início do Século XXI

Amazon.com.br Price: R$30,00 (as of 03/06/2020 15:58 PST- Details)

África parceira do Brasil atlântico é um livro contemporâneo que, escrito em linguagem direta, explica as relações do Brasil com sua fronteira oriental. José Flávio Sombra Saraiva demonstra que, no início do século XXI, o Brasil global coincide com uma nova África. As vias que unem as margens ribeirinhas do Atlântico Sul – do passado da diáspora africana às novas conexões internacionais das diplomacias, empresas, culturas, sociedades e valores – são analisadas no livro. Propõe o autor o conceito de atlantismo brasileiro, um modo próprio de construir relações internacionais com os africanos, diferente do que fizeram os colonizadores no passado ou os interesses chineses na África atual. O atlantismo brasileiro, para Sombra Saraiva, é plasmado por cooperação, trocas materiais e paz no grande oceano que une o Brasil ao continente africano.

Descrição

África parceira do Brasil atlântico é um livro contemporâneo que, escrito em linguagem direta, explica as relações do Brasil com sua fronteira oriental. José Flávio Sombra Saraiva demonstra que, no início do século XXI, o Brasil global coincide com uma nova África. As vias que unem as margens ribeirinhas do Atlântico Sul – do passado da diáspora africana às novas conexões internacionais das diplomacias, empresas, culturas, sociedades e valores – são analisadas no livro. Propõe o autor o conceito de atlantismo brasileiro, um modo próprio de construir relações internacionais com os africanos, diferente do que fizeram os colonizadores no passado ou os interesses chineses na África atual. O atlantismo brasileiro, para Sombra Saraiva, é plasmado por cooperação, trocas materiais e paz no grande oceano que une o Brasil ao continente africano.

Informação adicional

Autor

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “África Parceira do Brasil Atlântico: Relações Internacionais do Brasil e da África no Início do Século XXI”